segunda-feira, 14 de maio de 2018

Gastronomia do Mundo - Barcelona

Gastronomia do Mundo - Barcelona

Hoje o artigo é dedicado à série "Gastronomia do Mundo", onde falo dos pratos típicos dos locais que vou visitando. 
Tal como na maioria do países, a culinária espanhola varia muito de região para região, contudo existem algumas características comuns que a tornam única, nomeadamente o uso de azeite, da cebola e do alho e a utilização do pão e do vinho como acompanhamento da refeição, entre outros.

Neste artigo daremos destaque à gastronomia catalã, cuja origem é bem antiga e que tem sido bem preservada e simplificada ao longo dos séculos. 

Para hoje resolvi trazer um doce típico da Catalunha, a Crema Catalana, também conhecida por creme Sant Josep. Como manda a tradição, no dia de São José, a 19 de Março, as famílias confeccionam a Crema Catalana, para degustar durante o almoço. Esta é servida em pequenas tigelas individuais, de barro. 
Esta deliciosa sobremesa é confeccionada com leite, gemas, açúcar, amido, raspas de limão e pau de canela e tem a particularidade de ter uma cobertura crocante de caramelo, feita com açúcar queimado com um maçarico. Muitos poderão confundi-lo com o crème brûlée francês, mas só mesmo de aparência, pois tanto a receita, como o sabor são diferentes.

Crema Catalana - ShBarcelona

Para fazer esta bela sobremesa basta ferver o leite juntamente com a canela e as raspas de limão. Numa tigela, misture as gemas dos ovos com o açúcar e posteriormente, adicione o leite fervido e o amido de milho. de seguida leve a misture ao lume e vá mexendo até ferver. Tire-a de imediato e coloque num recipiente de barro.
Após arrefecer, espalhe uma boa porção de açúcar sobre a crema e queime levemente com a ajuda de um maçarico. E pronto está pronta a servir. Como vê é super fácil.
Para ver a receita completa visite o site ShBarcelona.

Uma curiosidade sobre a gastronomia espanhola é que o primeira livro de receitas de Espanha está impresso em Barcelona e terá sido escrito, em 1477, por Rupert Nola. E ainda existe um livro, de 1835, intitulado de La cuynera catalana, onde estão descritos vários pratos tradicionais da culinária catalã.

Este blog tem parceria com o Booking. Se pretende fazer a sua reserva para ficar alojado em Barcelona, contrate o serviço aqui e estará a ajudar o nosso blog, já que o nosso trabalho é voluntário. 


sábado, 28 de abril de 2018

As viagens que todos devemos fazer

As viagens que todos devemos fazer 

Recentemente li um artigo maravilhoso denominado 102 viagens que todos devemos fazer uma vez na vida e resolvi fazer uma reflexão com base nesse artigo, falando nas viagens ai descritas que já fiz e aquelas que sonho fazer. Esta é uma lista  única que engloba destinos e festividades mágicas, capazes de encantar qualquer um.
A verdade é que todas são maravilhosas e foi bastante difícil escolher, confesso que me apetecia colocar as 92 que ainda não fiz mas pronto, a muito custo lá consegui decidir e escolhi "apenas" 30.

As que já fiz:
- Provar algumas das melhores pizzas do mundo em Nápoles, Itália. Declarada como património da Humanidade, a famosa pizza de Nápoles conta já com mais de cinco séculos de existência, acreditando-se que a mesma terá ganho fama, quando em 1889 Rafaelle Esposito fez a primeira pizza redonda, para servir à Rainha Margherita, de Itália. Esta terá sido enfeitada com as cores da bandeira de Itália, com queijo (branco), manjericão (verde) e tomate (vermelho).

Uma bela pizza

- Assistir ao pôr do sol sobre o Mar Mediterrâneo a partir de Santorini, uma das mais belas ilhas gregas. Este é um local divino, silencioso e encantador, possuindo o pôr-do-sol mais famoso e romântico do mundo. Já tive a oportunidade de visitar esta bela ilha por duas vezes e de ambas fiquei absolutamente maravilhada.

O Castelo de Oiã que oferece o mais belo por do sol do mundo
- Caminhar ao longo das muralhas de Dubrovnik, que protegeram a cidade croata a partir do séc. XIII. A "pérola do Adriático", como é conhecida, é a cidade mais famosa da Croácia, sendo uma das mais bem conservadas cidades medievais da Europa. Estas muralhas são compostas por várias zonas distintas, nomeadamente a Porta pile, a Porta Ploce, o Forte Minceta, o Forte Revelin, o Forte Bokar e o Forte de São João.

Vários pormenores das muralhas de Dubrovnik

- Passear pelas margens do Rio Sena, em Paris e deliciarmo-nos com as pontes e monumentos parisienses, tendo uma outra perspectiva.

Vários pormenores do Rio Sena

- Fazer um piquenique no estranho mas bonito Parc Guell de Antoni Gaudí, em Barcelona. Este belo e deslumbrante parque, declarado Património Mundial da Humanidade, pela UNESCO, resulta de um enorme fracasso urbanístico, mas a verdade é um local magnífico e de onde se pode obter uma vista sobre toda a cidade.

Parc Guell

- Perder-se no labirinto dos jardins do Palácio de Versalhes, perto de Paris. Mandado construir por Luís XIV, estes belos jardins tinham como objectivo impressionar quem os visitasse e transmitir através das suas fontes e caminhos a grandiosidade de Fraça e do seu rei.

Jardins do Palácio de Versalhes

- Usar uma máscara no Carnaval em Veneza. O uso destas elaboradas máscaras venezianas remontam ao inicio do séc. XIII e tradicionalmente, o uso das mesmas era permitido entre o 5 de Outubro e o 26 de Dezembro, na Terça-Feira Gorda e na Festa da Ascensão, ou seja, grande parte do ano era permitido ao venezianos andarem com a sua cara escondida nestas belíssimas máscaras.

As máscaras de Veneza

- Beber o chá das cinco numa luxuosa sala de chá de Londres. Este é um dos símbolos da aristocracia inglesa, sendo uma tradição introduzida na corte inglesa pela princesa portuguesa, Catarina de Bragança, quando casou com Carlos II de Inglaterra. Este chá é sempre acompanhado de um mini buffet.

- Descansar nas bonitas praias de Lagos. A zona de Lagos é uma das zonas mais diversificadas do Algarve, onde nos é possível encontrar praias de características rochosas, assim como praias com longos areais.

Praias do zona de Lagos

- Descer de skis os Alpes suíços. Esta é uma experiência única, que nos impressiona quer pela beleza incrível deste símbolo do país, quer pela grandiosidade.

Paisagens do Alpes suiços

As que sonho fazer:
- Andar de trenó guiado por cães nas terras gélidas da Suécia. Geralmente são utilizados os huskies e os passeios são absolutamente inesquecíveis.

- Ficar admirado com a Aurora Boreal da Lapónia, no norte da Finlândia. É um verdadeiro espectáculo de luzes coloridas e brilhantes, que surgem do contacto dos ventos solares com o campo magnético do Planeta Terra. É possível assistir a este fantástico fenómeno nas épocas de Setembro a Outubro e de Março a Abril, geralmente no período da noite ou final de tarde e a olho nu.

Fonte: www.kakslauttanen.fi

- Alimentar os famosos porcos nadadores em Exuma, nas Bahamas. Acredita-se que os porcos tenham sido deixamos na ilha, por marinheiros à muitos séculos atrás. A ideia seria criarem-nos e mais tarde comerem-nos, mas os marinheiros acabaram por não voltar e os porcos acabaram por aprender a nadar para se alimentarem.

Fonte: www.observador.pt


- Conduzir um carro clássico nas estradas de Havana

- Navegar pelas águas tranquilizantes de Kerala, na Índia, a bordo de uma casa flutuante. As Backwaters, conjunto de mais de 1500 km de canais, 38 rios e cinco lagos navegáveis, são o ex-libris de Kerala, como tal, não pode perder uma viagem nas casas-barco ou nos pequenos barcos de junco, que por ali navegam.

Fonte: www.holidayknock.com

- Experimentar alguns tipos de comida (satay, laksa, char kueh teow) numa banca de street food no centro de Penang, na Malásia. Para além se super barato a comida é extremamente deliciosa.

Fonte: www.thecoverage.my

- Caminhar num campo de flores de cerejeira, em Quioto, que foi eleita a melhor cidade do mundo pela "Travel + Leisure", pelo segundo ano consecutivo. As ruas ficam todas cor-de-rosa, durante cerca de duas semanas, entre Março e Abril, sendo este um maravilhoso fenómeno natural que atrai inúmeros turistas.

Fonte: www.nit.com

- Ficar molhado nas Cataratas do Iguaçu, uma das maiores cascatas do mundo, que faz fronteira com o Brasil e a Argentina. Este conjunto de cerca de 275 quedas de água no rio Iguaçu, oferece-nos uma experiência única de imersão na natureza e que por várias vezes tem servido de cenário a diversos filmes.

Fonte: wikipedia.pt

- Pernoitar numa cabana de luxo com vista para as águas claras nas Maldivas. As Water Villa, bungalow sobre a água, são umas das melhores atracções das Maldivas, proporcionando umas férias maravilhosas e onde podem ocorrer encontros de terceiro grau com raias e tubarões.

Fonte: www.travelcentermaldives.com

- Conviver e dançar com os foliões no Carnaval em Salvador. Tratada por Capital da Alegria, esta bonita cidade conhecida mundialmente pela sua gastronomia, música e arquitectura, cresceu sob a influência dos portugueses, africanos e indígenas, o que resultou na diversidade cultural patente nesta região. O Carnaval de Salvador é uma celebração de igualdade onde a divisão social é praticamente esquecida.

- Tirar uma foto artística no ponto mais alto do Grand Canyon, no Arizona. Património Mundial da Humanidade, este enorme desfiladeiro, foi esculpido ao longo de vários milhões de anos pelo Rio Colorado, possuindo uma diferença de altitude de quase 2200 metros. É constituído por várias áreas diferentes, sendo que a mais famosa é o Parque Nacional do Grand Canyon, mas podemos observar também duas reservas indígenas, a Reserva Indígena de Havasupai e a Reserva Indígena de Hualapai.

Fonte: www.livenet.ch

- Visitar Angkor Wat, em Siem Reap, no Camboja, eleita a melhor atracção turística do mundo pela 2Lovely Planet" no ano passado. Angkor Wat é o maior templo religioso do mundo, dedicado ao Deus Hindu Vishnu. Construído no séc. XII, o templo tem um formato de mandala e é todo talhado em pedra, possuindo 5 torres.

Fonte: wikipedia.pt

- Explorar numa viagem de balão de ar quente, a geografia surreal da Cappadocia, na Turquia. Todos os dias centenas de balões são largados no céu, permitindo a quem lá vai ver a Capadócia a partir de cima, com as suas aldeias de rochas, os seus vales vulcânicos, entre outros.

Fonte: www.nstravel.ro

- Ver as casas coloridas em ruínas, construídas na falésia de Valparaíso, no Chile. Construídas na sua maior parte no Cerro Concepción, estas possuem aquele aspecto peculiar pois os seus moradores compravam as tintas que sobravam dos navios, bem como as placas de zinco dos contêineres, para as paredes das fachadas.

Fonte: www.dicaschile.com

- Mergulhar na maior barreira de corais australianos, declarada como património mundial da UNESCO. A Grande Barreira de Coral, situa-se ao longo da costa oriental da Austrália e é o maior recife de coral do mundo inteiro, possuindo mais de 2000 Km de extensão. Esta estrutura encontra-se em constante crescimento e serve de abrigo a um enorme leque de animais e vegetação subaquática, o que proporciona manutenção de uma verdadeira floresta submarina. Em 1981 foi eleita como Património Mundial da Humanidade.

Fonte: www.travel.com.br

- Fazer uma caminhada no surreal Coyote Buttes, no Arizona. No Coyote Buttes encontrará o famoso The Wave, uma formação rochosa de arenito, bem popular pelas suas formas coloridas e ondulantes.

Fonte: www.utah.com

- Explorar as ruas de Petra, uma antiga cidade construída em montanhas rochosas, na Jordânia. Petra é um importante tesouro da Jordânia e a maior atracção turística deste país. É uma cidade única, esculpida na própria face rochosa pelos Nabateus (povo árabe que se fixou neste local). A entrada para a cidade é feita pelo "Siq", estreito com cerca de 1 Km de cumprimento, ladeada por imponentes penedos.

Fonte: www.passenger6a.pt

- Apanhar os primeiros raios de luz no Bryce Canyon, no sudoeste do Utah. Este magnífico anfiteatro natural, formado pela erosão, é conhecido pelas suas chaminés de fada, grandes colunas naturais que no topo possuem um bloco de rocha maior.

Fonte: www.utah.com

- Subir ao topo do Huayna Picchu para uma visão panorâmica de Machu Picchu. Contudo, a subida a Huayna Picchu é bastante desafiante, em parte devido aos caminhos bastantes íngremes e estreitos.

Fonte: wikipedia.pt

- Ser aventureiro e caminhar ao longo do troço não restaurado da Grande Muralha da China. Esta é uma impressionante estrutura militar construída na China Imperial, sendo também conhecida apenas como a "Grande Muralha". É constituída por várias muralhas, cuja construção durou várias dinastias (cerca de dois milénios). Inicialmente, a sua função era a de proteger e defender. Actualmente, funciona como ponto turístico, sendo um dos símbolos mais importantes da China.

Fonte: www.tgkturismo.com

- Visitar cada uma das cinco aldeias em Cinque Terre, em Itália. A costa italiana da Ligúria possuí uma paisagem natural única distribuída pelas Cinque Terre (Riomaggiore, Manarola, Corniglia, Vernazza e Monterosso) que tornam esta viagem num momento único rodeados pelo bonito mar azul e pelas bonitas casas coloridas espalhadas pelas colinas.

Fonte: www.dreamstime.com

- Experimentar a hospitalidade marroquina num riad, em Maraquexe. Ficar alojado num riad ( casarão histórico de tijolos, com pátio interior) torna a experiência bem mais autêntica e especial.

Fonte: www.riads.co.uk

- Tirar um fotografia em frente do Taj Mahal, na Índia. Este magnífico mausoléu, construído há cerca de 400 anos atrás, é um dos monumentos mais importantes do país. Construído a mando do imperador Shah Jajanem em memória da sua esposa Mumtaz Mahal, é conhecido como a maior prova de amor do mundo, contendo inscrições retiradas do Corão. Todo ele está incrustado de pedras semi-preciosas e a sua cúpula é costurada com fios de ouro.

Fonte: wikipedia.pt

- Navegar entre icebergues num cruzeiro à Antárctida. Por muitos considerada como o paraíso ecológico da terra, a Antárctida proporciona a quem a visita uma experiência incomparável, sendo possível observar baleias, ver focas a descansar sobre o gelo, conhecer colónias de pinguins ou ainda deliciar-se com as mais variadas formas, tamanhos e cores dos muitos icebergs que por ali se encontram.

- Fazer um safari no Botswana, para ver vários tipos de animais selvagens. Este é um dos melhores e mais reservados destinos para fazer um safari. Com o combate exaustivo à caça furtiva, o Bostwana é considerado um verdadeiro refúgio da vida selvagem.

Fonte: www.mopanesafari.com

- Sentir como se estivesse na Europa, mesmo que esteja no Quebec, Canadá, a única cidade que tem ruas parecidas às várias cidades europeias.

Fonte: news.lift.co

- Maravilhar-se com a arquitectura incrivelmente elaborada de São Petersburgo, na Rússia, eleita melhor destino na Europa pelos "World Travel Awards" deste ano. Ao passear pelas ruas de São Petersburgo pode, com a mesma facilidade, encontrar um magnífico edifício barroco, como uma sumptuoso palácio ou ainda uma extravagante igreja.

Fonte: vietblogaltravel.com

- Admirar os incríveis pagodes dourados de Bagan, Myanmar. Em tempos a antiga capital de vários reinos. A cidade localiza-se na zona árida do país. Calcula-se que no séc. XI, cerca de 13 mil templos, pagodes e estupas foram construídas na região, estes encontram-se espalhados numa área de 25 quilómetros quadrados.
Este é um maravilhoso tesouro que tem sobrevivido às catástrofes naturais e aos saques de tesouros e riquezas, durante séculos.

Fonte: tripadvisor.com


- Visitar o Templo de Buda Reclinado em Bangkok, na Tailândia. Um dos templos mais importantes e mais antigos de Bangkok, este Buda em posição deitada, com cerca de 43 metros é um dos pontos turísticos mais famosos da capital da Tailândia.

Fonte: wikipedia.pt

- Visitar as montanhas, neves e lagos azuis da Patagónia. Só aqui, num dos lugares mais remotos do planeta, encontrará esta mescla de paisagens, com lagos azuis a desaguar em cascatas a fumegar ou montanhas adornadas por neve e rocha.

Fonte: www.101lugaresincreibles.com
Espero um dia conseguir fazer cada uma destas viagens e puder então deixar as minhas próprias fotos destes maravilhosos locais.
E vocês quais as viagens que anseiam fazer? E quais já fizeram?

Este blog tem parceria com o Booking. Se pretende fazer a sua reserva para ficar alojado em qualquer lugar da Europa ou até do mundo, contrate o serviço aqui e estará a ajudar o nosso blog, já que o nosso trabalho é voluntário.



segunda-feira, 9 de abril de 2018

Um dia em...Friburgo

Um dia em...Friburgo

Friburgo é uma cidade do cantão suíço com o mesmo nome, possuindo um dos mais bonitos e bem conservados conjuntos arquitectónicos  medievais da Europa, composto por fontes e igrejas datadas desde o séc. XII até ao séc. XVII.
Localizada numa península, rodeada dos três lados pelo La Sarine, foi fundada por volta de 1157, pelo Duque Bertoldo IV de Zahringen, tendo ao longo dos séculos, sido controlada por diversas casas e participado em diversas guerras.
Durante os séc. XIX e XX sofre grandes alterações quer a nível cultural, quer na sua estrutura, nomeadamente com a destruição parcial da sua muralha e com a construção de uma nova ponte sobre o Rio Sarine.

Friburgo

As principais atracções turísticas da cidade são a arquitectura militar medieval mais importante da Suiça, com cerca de 2km de muralhas, 14 torres e ainda um grande bastião, a sua bela Catedral gótica, com cerca de 76 metros de altura, do séc. XIII, o Museu de História Natural, fundado em 1873, entre vários outros museus, as inúmeras fontes espalhadas pela cidade, várias capelas e edifícios seculares.


Recentemente passei um dia em Friburgo e fiquei encantada com esta bela cidade que tanto tem para oferecer, e como tal, decidi partilhar convosco o nosso roteiro.

O nosso roteiro:
Chegámos de manhã à cidade e fomos directos ao posto de turismo para conseguir um mapa de Friburgo e algumas indicações para visitarmos as atracções mais importantes, uma vez que não tínhamos muito tempo.

Bem pertinho do posto de turismo encontrámos a Igreja Protestante de Friburgo, fundada em 1875 e que ao longo das décadas tem sofrido várias reformas, a última das quais em 2010/2011. A paróquia protestante é bilingue e formada por cerca de 5600 membros.


Igreja Protestante de Friburgo
Continuámos o nosso percurso em direcção à bonita e pacata Square des Places, onde está localizado o elegante edifício do Posto dos Correios.

Square des Places

E seguimos pela Rua de Lausanne, uma elegante rua comercial que nos leva até à Place de l'Hôtel de Ville, praça onde ocorre o mercado todos os sábados e onde está localizado o Hôtel de Ville, uma construção gótica de 1522, concebido para funcionar como celeiro, mas que actualmente alberga a Câmara Municipal e ainda a magnífica Torre do Relógio e a Maison de Ville ( uma bela casa barroca).

Rua de Lausanne

Nesta mesma praça encontrámos ainda a Fonte de São Jorge, construída entre 1522 e 1524, conhecida por possuir uma coluna com uma escultura de pedra de São Jorge, em cima de um cavalo a matar um dragão, cuja autoria é de Hans Geiler.
Em breve sairá um artigo dedicado às bonitas fontes renascentistas espalhadas pela cidade.

Place de l'Hôtel

Seguimos em direcção à Catedral de São Nicolau, ou Catedral de Friburgo, uma bela catedral gótica, dedicada ao padroeiro da cidade, localizada bem no centro histórico. Foi construída entre 1283 e 1490, mas não foi totalmente acabada, por falta de verba. Possui uma torre com 74 metros de altura, que oferece uma vista panorâmica pela cidade, sendo conhecida pelo seu magnífico conjunto de vitrais, do estilo Art Nouveau, um dos mais bonitos de toda a Europa.
Em breve sairá um artigo todo dedicado à Catedral.

Catedral de São Nicolau

Depois de visitarmos a catedral decidimos caminhar em direcção ao Rio e encontrámos bem por de trás do edifício mais uma das fontes renascentistas que se encontram espalhadas pela cidade. Desta vez encontrámos a Fonte da Bravura, construída no séc. XIV, na Praça do Hôtel de Ville, onde permaneceu até 1840. O senão é que essa zona andava em obras e não conseguimos ter uma perspectiva completa da fonte.

Continuámos o nosso itinerário e chegámos à Ponte Zaehringen, construída em 1924, substituindo a ponte que se encontrava no local. Em 2014, foi proibido o trânsito de veículos motorizados nesta ponte, com excepção dos serviços de segurança, os motociclos e os transportes públicos.

Ponte Zaehringen

Bem junto à Ponte encontrámos uma escada que nos levou para a borda do rio e continuámos até à histórica Ponte de Berna. Esta é a a única ponte coberta de madeira que ainda existe em Friburgo, tendo sido construída em 1250, um século após a fundação da cidade. Aos longo dos séculos foi sendo renovada o que lhe permitiu permanecer até aos dias de hoje. Esta é sem dúvida uma das atracções mais bonitas da cidade, apesar de ser bem simples e sem nenhum adorno especial, a verdade é que toda a moldura que a rodeia tornam o local magnífico.

Ponte de Berna

Prosseguimos a nossa incursão pelo centro histórico da cidade e encontrámos a Fonte de Santa Ana. A Fonte inicial terá sido construída por volta de 1349, mas a fonte que chegou até aos nossos dias data de 1559, sendo uma fonte retangular, cuja coluna se encontrada adornada com criaturas marinhas e alguns querubins e símbolos musicais, numa alusão ao antigo Hospício de St. James. Possui ainda uma bonita escultura representando a Santa Ana, a Virgem e a Criança, em estilo gótico.

Fonte de Santa Ana

Bem próximo da fonte voltámos a passar o Sarine desta vez através da Ponte de Milieu situada na parte baixa de cidade. A primeira ponte no local foi construída em 1275 e a actual data de 1720, quando a ponte de madeira deu lugar a uma ponte de quatro arcos.

Em cima da Ponte Milieu
Esta ponte oferece-nos uma das vistas mais bonitas do centro histórico da cidade e da sua Catedral, valendo a pena caminhar até este local para ter esta perspectiva de Friburgo.

Vista da cidade de Friburgo
Desviamo-nos depois um pouco do nosso percurso para visitar a Capela de Lorette, um bonito santuário de estilo barroco, construído por Jean François Reyff, em 1648. Esta foi construída para trazer a paz ao país. Localizada num dos pontos mais altos de Friburgo, quem visita a Capela de Lorette é recompensado com uma das vistas mais encanadoras sobre a cidade, vislumbrando os vários bairros e pontes de Friburgo.

Capela de Lorette
De seguida voltámos ao nosso roteiro e passámos pela a Igreja de São João, uma igreja medieval, reconstruída no séc. XVIII e bem simples e pela a Fonte de São João. Construída por Hans Geing e pelo seu filho Frantz Geing, esta bela fonte de estilo renascentista possui uma estátua de São João Batista, na sua capa e segurando na mão esquerda um ferro.

Igreja de São João

Prosseguimos com o nosso passeio pelas ruelas da parte baixa da cidade, também conhecida como Neuveville e fomos aproveitando para tirar fotos a tudo o que víamos e encontrámos mais uma bonita fonte, desta vez a Fonte da Força. Construída em 1549, da autoria de Hans Geing, esta fonte, encontra-se localizada no final da escada de Court-Chemin e representa uma figura de força, valor e ousadia.

Fonte da Força
Depois de explorada a parte baixa da cidade, optámos por apanhar o Funicular para regressar à parte alta , também conhecida por St. Pierre. Este belo exemplar, uma das atracções mais encantadores de Friburgo, foi inaugurado em 1899 e funciona com as águas residuais da cidade, que funcionam como contrapeso. Foi uma viagem de cerca de 2 minutos que adorámos fazer e que aconselhamos a quem visitar a cidade.

Linha do Funicular

E assim terminava a nossa visita por Friburgo, uma cidade encantadora que tanto nos deslumbrou com a sua arquitectura, a sua cultura, a sua história. Era uma cidade sobre a qual não tinha grandes expectativas mas que se revelou como uma magnífica surpresa.

E vocês já visitaram a cidade? o que acharam?

Este blog tem parceria com o Booking. Se pretende fazer a sua reserva para ficar alojado em Friburgo, contrate o serviço aqui e estará a ajudar o nosso blog, já que o nosso trabalho é voluntário. 

Leia os nossos outros artigos sobre a Suiça: