quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Select Lounge Cafe - Santorini

Select Lounge Cafe


Hoje vou falar um pouco sobre um restaurante que conheci da primeira vez que visitei a maravilhosa ilha de Santorini, na Grécia, o Select Lounge Cafe.

Este fantástico restaurante está situado no ponto mais alto da famosa Caldeira, a uma altura de 225 metros do nível do mar, oferecendo uma vista magnífica sobre o vulcão da ilha. Este localiza-se num edifício de 1936, na rua mais movimentada da ilha, com imensas lojas viradas para o turismo.

O nosso navio a partir do restaurante
Vista panorâmica da Fira a partir do Select Lounge Cafe

Aqui podemos desfrutar de uma maravilhosa cozinha grega, de deixar qualquer um de água na boca. Quando visitámos o local pedimos ao simpático empregado que nos sugerisse os pratos típicos com melhor reputação, este indicou-nos dois pratos que mandámos vir e dividimos entre os dois.

A nossa conta
A cerveja grega

O primeiro prato foi uma Moussakà, que é uma especialidade gastronómica do Médio Oriente, típica da culinária grega e turca, que mais não é que uma espécie de lasanha feita com carne de carneiro, beringela e batata. E eu que não gosto de batata e muito menos de beringela, devo confessar que adorei este prato.

Moussakà

O outro prato é o Gyros, que nada mais é de pedaços de carne, assados num forno vertical, servido com pão pita, alguns legumes (cebola e tomate) e molho tzatziki ( molho grego de iogurte, pepino e hortelã). Este foi mais uma boa escolha, em que gostei principalmente do molho.

Gyros
Quando visitarem a fantástica Ilha de Santorini, não deixem de visitar este local, mais que não seja para beber um café e apreciar a fantástica paisagem que este nos proporciona.

Espero que tenham gostado :) .

Este blog tem parceria com o Booking. Se pretender fazer a sua reserva para ficar alojado em Barcelona, contrate o serviço por aqui e estará ajudando o nosso blog, já que o nosso trabalho é voluntário.

Veja os nossos artigos dedicados à Grécia






quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Um dia em...Santorini

Um dia em...Santorini

Hoje farei um artigo muito especial para mim, pois falarei do local mais bonito e fascinante em que alguma vez já estive, a bela ilha de Santorini, na Grécia. Ela oferece uma variedade impressionante de paisagens, tornando o lugar inesquecível. Tive o prazer de conhecer esta bonita ilha num cruzeiro que fiz durante a minha Lua de Mel, mas depois disso já consegui lá voltar num outro cruzeiro que fiz e ainda fiquei mais apaixonada.
Com este artigo tentarei mostra-vos o que é possível fazer num dia pela Ilha.

Vista da cidade de Fira a partir do Navio
O Navio desde Fira
Um pouco de história
Durante o Império Romano, Thera, como era inicialmente chamado, nada mais era do que uma pequena e insignificante ilha. Contudo, o cristianismo chegou cedo à ilha e foi-se difundindo ao longo dos tempos. Após a queda de Constantinopla para os cruzados, Thera tornou-se a sede de um dos quatro bispos católicos do Ducado e viu surgir então o nome de Santorini, que provém do nome Santa Irene e que significa a "mais bela" .
Em 1821, Santorini participou na luta pela independência dos turcos, e em 1830 tornou-se parte do estado grego. Até ao início do séc.XX o transporte têxtil, a produção de tomate e a viticultura foram florescendo e com o aparecimento dos barcos a vapor e consequente transporte das matérias primas da ilha até ao continente a economia floresceu.
E a partir do final da década de 70 o turismo começa a desenvolver-se e esta bonita ilha passa a fazer parte do imaginário de muitas pessoas.

Vista da cidade de Fira a partir Imerovigli

O nosso dia na ilha
Chegámos à ilha no cais de Fira e tivemos que apanhar o teleférico para a cidade, pagámos cerca de 4€ por pessoa. O percurso é assustador mas maravilhoso ao mesmo tempo. O único senão são as longas filas que poderemos apanhar e que acabam por nos fazer perder tempo precioso de visita à ilha.
Mas o que se sente quando se chega ao topo não tem descrição e vale toda a espera. Fira está pendurada nas mais altas falésias da Caldera, assemelhando-se a uma varanda natural, sobre o Mar Egeu. Ou seja, parece que entrámos noutro mundo e todas as imagens que anteriormente tínhamos visto não fazem jus à beleza que se apresenta à nossa frente. E posso dizer que a sensação, quando se visita o local pela segunda vez, não é de todo diferente. Aqui a frase "uma imagem vale mais do que mil palavras" nunca me pareceu tão acertada.
Teleférico que nos leva desde o porto até à cidade

Fira
Fira localiza-se na borda de um penhasco e é o centro e também a capital da ilha, sendo o local ideal para os que gostam de agitação. Aqui existe uma rua cheia de lojas, que deixa qualquer um encantado com as vitrines das ourivesarias, cheias de peças absolutamente únicas.
Nós optámos por iniciar o nosso percurso por Fira da zona menos movimentada para a mais movimentada e como tal seguimos em direcção a Firostefani sempre ao longo da encosta junto ao mar. Este é um passeio que recomendo a todos, pois é extremamente sossegado e oferece-nos paisagens maravilhosas e únicas.

Nós na nossa caminhada em direcção a Firostefani

Depois do nosso agradável passeio decidimos voltar para o centro de toda a acção e ao dirigirmo-nos para lá encontrámos a Catedral Católica de São João Batista, uma das maiores e mais imponentes igrejas da ilha. Esta é uma igreja que chama a atenção por se deslocar na paisagem, ou seja, a cor de pêssego do edifício foge ao típico branco e azul característico. Possui ainda um belíssimo relógio e torre sineira.

Catedral Católica

De seguida, fomos visitar a Catedral Metropolitana Ortodoxa, localizada bem no alto de Fira. Este bonito templo foi construído em 1827, mas terá sido destruído por um terramoto em 1956 e foi reerguida após o mesmo. O seu interior possui fantásticas peças pintadas pelo artista grego Christoforos Assimis. Se pretender visitar o local tenha o cuidado de não levar roupa muito curta.

Catedral Metropolitana Ortodoxa

Depois de visitar a Catedral Ortodoxa seguimos em direcção ao Museu Pré-histórico de Thera.  A visita custa 3€ por pessoa e é bastante interessante, pois podemos ver vários artefactos encontrados nas escavações em Akrotiri. Sendo possível ainda, ver uma bela colecção de peças que representam o quotidiano da população de Santorini desde  período Neolítico até à actualidade.

À entrada do Museu

Depois de visitado o museu decidimos dar uma volta pelas ruelas cheias de comércio de Fira e logo de seguida fomos apanhar o autocarro para ir até à praia de Kamari.


Ruela de Fira

Praia de Kamari
Apanhámos o autocarro bem no centro da praça principal de Fira e pagámos 3,20€ ida e volta por pessoa.
A Praia de Kamari é a praia mais conhecida da zona leste da ilha, e quando lá chegámos vimos uma praia lindíssima, mas muito diferente ao que estamos habituados. Em vez de areia tínhamos pedra vulcânica e aí percebemos que teríamos que alugar um chapéu de sol, pois seria impossível estar em cima pedra com o calor que se fazia sentir. A ida à água foi uma verdadeira luta, pois a pedra queimava horrores, e para remediar a situação colocámos as toalhas debaixo dos pés e arrastámo-nos até à água.

Entrada da Praia de Kamari
Praia de Kamari
Praia de Kamari

Oiã
Depois de visitada a bela praia de Kamari seguimos em direcção à bonita cidade de Oiã (lê-se Ia). Esta foi esculpida nas colinas, e aqui encontrámos belas casas, construídas pelos capitães de navios venezianos, assim como "casas-caverna", mais típicas, construídas pelos aldeões, verdadeiras obras de arte.
Este é um local divino, silencioso e encantador, possuindo o pôr-do-sol mais famoso e romântico do mundo.
Oiã revelou-se um tesouro ainda maior do que estávamos à espera e se já tínhamos ficado encantados com Fira e as paisagens em volta, aqui ainda ficámos mais maravilhados, se é que isso é possível.


Ruelas de Oiã

Oiã é conhecida pelas suas casinhas caiadas branco e com as cúpulas azuis, o que nos permitiu tirar fotos maravilhosas e que parecem verdadeiros postais, comprados em qualquer papelaria.

Cúpula Anastasis



Paisagens magníficas de Oiã
Mas não são só as bonitas paisagens e o fantástico pôr-do-sol que esta cidade tem para oferecer. Tal como em outras ilhas da Grécia, aqui encontrámos alguns moinhos que completam a bela paisagem e ainda encontrámos algumas das mais famosas igrejas da ilha, assim como pequenas e deslumbrantes capelas com as suas abóbadas azuis, as imaculadas torres sineiras brancas e as pedras vulcânicas a delinear os seus muros ao longo da falésia da Caldera.

Moinhos de vento de Oiã

Cada uma destas capelas foi construída pelas famílias locais e serviam para rezarem pelo retorno dos membros da família que se encontravam no mar. Todas elas são dedicadas a santos e encontram-se fechadas ao público, exepto no dia do santo a que são dedicadas. Nesse dia, a família que construiu a capela abre a mesma e patrocina uma pequena festa onde são oferecidos vinhos e especialidades locais.

Uma das igrejas de Oiã
Oiã
Uma das belas e famosas igrejas que nos foi possível visitar foi a Igreja de Panagia de Platsani, a principal igreja de Oiã, construída em 1800 e mantida em perfeitas condições. O seu interior é uma verdadeira obra de arte, criada pelos artesãos locais. Esta foi inicialmente construída dentro das muralhas do Castelo de Oiã, mas mais tarde foi transferida para a sua localização actual e é dedicada ao Akathistos Hymn.

Igreja de Panagia de Platsani

Depois de visitarmos esta bela igreja e numa das muitas paragens para ver a paisagem, acabámos por encontrar uma das atracções mais conhecidas de Oiã, as Ruínas do Castelo Bizantino. O castelo de São Nikolas foi em tempos a mais bonita residência de Santorini. Contudo, actualmente, existem apenas algumas evidências dessa fortificação, uma vez que a maior parte do edifício ficou destruído no terramoto de 1956. Este é o local mais indicado para ver o famoso pôr do sol de Oiã, sendo aqui que a maioria dos turistas se aglomera antes do pôr do sol, com a máquina pronta a disparar.
Quando chegámos já se viam inúmeras pessoas no local, prontas para ver o espectáculo do pôr-do-sol.

Ruínas do Castelo Bizantino

Depois de termos dado uma volta pelas ruínas e pelas ruelas de Oiã, decidimos voltar para Fira pois estava quase na hora de termos que voltar ao barco.
E chegados a Fira a verdadeira aventura começou, quando decidimos regressar de novo ao cais, pois desta vez decidimos ir de burro e não de teleférico. Para além do facto de termos que andar de burro, a encosta a descer era toda em escadas. Foi uma experiência engraçada mas que nem todos gostaram.

Eu e o Burro
A nossa descida

E assim acabava um dia magnífico, preenchido de memórias inesquecíveis e para sempre perpetuadas nas fantásticas fotos, conseguidas a cada esquina, entre os promontórios sobre o mar.

Devo confessar que este foi o artigo que mais tempo demorou a ser escrito, tendo desistido várias vezes. Talvez porque queria fazer algo especial dado a preciosidade deste local ou talvez porque não conseguia passar para palavras tudo aquilo que vi e senti das duas vezes que aqui estive e onde pretendo regressar.

E vocês já visitaram Santorini? Quais as vossas impressões?
Espero que tenham gostado :)

Este blog tem parceria com o Booking. Se pretender fazer a sua reserva para ficar alojado em Barcelona, contrate o serviço por aqui e estará ajudando o nosso blog, já que o nosso trabalho é voluntário.

Veja os nossos artigos dedicados à Grécia

Veja o outro artigo dedicado a Santorini



sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Venezia Restaurant - Mykonos

Venezia Restaurant


Hoje venho falar-vos de um restaurante situado na Ilha de Mykonos, mais propriamente na zona de Little Venice, bem perto dos moinhos de Chora e juntinho ao Mar, o Venezia Restaurante.

A entrada do restaurante
A ruela que dá acesso ao local

Este é um local bem pequeno e acolhedor, com comida de taberna e peixe bem fresquinho, situado mesmo à beira-mar. Vários são os bares que aqui se encontram e qualquer um deles parece bem interessante. 

A esplanada
Parte da Paisagem

Quando visitei este local não foi para fazer nenhuma refeição mas apenas para beber uma água, descansar um pouco e apreciar a bela paisagem que o local nos oferecia.

A carta do Restaurante

De qualquer forma achei que devia falar no local pois achei bem pitoresco e interessante e para aqueles que visitarem a cidade, não podem deixar de visitar esta zona da ilha e escolher um dos muitos restaurantes da zona e deixar-se levar pela fantástica paisagem que vos rodeia.

Espero que tenham gostado :) .


E vocês já visitaram Mykonos? O que acharam? Ou ainda querem visitar?
Este blog tem parceria com o Booking. Se pretender fazer a sua reserva para ficar alojado em Barcelona, contrate o serviço por aqui e estará ajudando o nosso blog, já que o nosso trabalho é voluntário.

Veja os nossos artigos dedicados à Grécia

Veja os outros artigos dedicados a Mykonos





sábado, 10 de outubro de 2015

5 dicas para se virar numa cidade

5 dicas para se virar numa cidade


Muitas vezes os meus amigos e conhecidos perguntam-me como me consigo "safar" tão bem num local que estou a conhecer pela primeira vez, como sei quais os transportes a utilizar, os restaurantes que frequento, entre outras coisas. Então decidi escrever este pequeno artigo com cinco dicas, ideais para quem está prestes a ir para algum local que não conheça.



1.Pesquise coisas para fazer - quando se viaja para um local deve-se saber quais as características, história, monumentos, entre outros. Depois de estar o mais informado possível acerca do local devemos fazer uma lista com os sítios onde queremos ir, restaurantes que queremos conhecer e coisas que pretendemos fazer. Uma das melhores formas de conhecer um local é ler alguns blogs de viagem de pessoas que já visitaram o mesmo ( caso tenham curiosidade de ver alguns blogs que sigo leia o meu artigo Blogs de viagem que precisa de conhecer). Claro que há sempre coisas que se descobrem durante a viagem e que acaba por nos desviar desta lista, mas esta acaba por servir como um fio condutor do nosso planeamento e da nossa descoberta.

2.Não tenha medo de andar de transportes públicos - os transportes públicos são os meios mais rápidos e baratos para se deslocar em qualquer cidade. Mais uma vez aconselho que visitem alguns blogs e leiam quais os transportes mais eficazes em cada cidade (por exemplo em Paris aconselho o metro, mas em Florença a rede de autocarros é espectacular). Outra opção é dirigir-se a um posto de turismo e pedir mapas com os circuitos dos vários meios de transporte e escolher o que melhor se adequa às suas necessidades.

No metro para Versalhes

3.Aplicativos de viagem - os aplicativos de viagem são uma ajuda inigualável para quem está num local que não conhece, pois acabam por nos ajudar a fazer escolhas do que vale a pena visitar ou o onde poderemos ter uma boa experiência gastronómica. Os meus aplicativos de viagem são o Tripadvisor e o Minube.

4.Leve sempre um guia - esta é provavelmente a melhor dica de todas, pois um bom guia acaba por dar todas as indicações necessárias para nos mexermos bem num local desconhecido. Pois para além de nos falarem da história local, mostram os monumentos mais conhecidos mas também os menos conhecidos, falam dos meios de transportes mais úteis e dão dicas de alojamento e de restaurantes. Existem inúmeros guias de editoras diferentes mas os meus preferidos são os Citypack da Porto Editora e os Guias da American Express.

Os meus guias favoritos

5.Converse com amigos que já visitaram o local - Não há dica melhor do que aquela que nos é dada por quem já visitou o local e normalmente os nossos amigos conhecem os nossos gostos e a nossa personalidade e poderão dar dicas personalizadas e ideais para nós.

Viagem a França com amigos

E vocês têm alguma dica para partilhar connosco? Espero que vos possa ter ajudado e que numa próxima viagem possam desfrutar ainda mais. 

sábado, 3 de outubro de 2015

Blogs de viagem que precisa de conhecer

Blogs de viagem que precisa de conhecer

Como grande apaixonada por viajar que sou uma das minhas "manias" é devorar tudo acerca do local da minha próxima viagem, para dessa forma puder organizar os meus roteiros, o alojamento, transporte, locais onde comer, entre todas as outras coisas necessárias quando se organiza uma viagem. Para além disso gosto imenso de ler impressões de outras pessoas sobre locais que eu própria já conheci e assim perceber se as opiniões são iguais às minhas, se visitaram exactamente os mesmos locais, entre outros. 
Nesse sentido, vários são os blogs que sigo com alguma frequência e de que gosto particularmente. De seguida falarei um pouco de cada um deles e deixarei as minhas impressões.

Zigadazuca
O blog ZigadaZuca existe desde 2010 e é administrado pela Natália Gastão (a zuca). Aqui encontraremos os relatos das suas aventuras pelo mundo, ao mesmo tempo que nos são dados dicas de atracções, de alojamento, transporte e até alimentação. Ou seja, aqui poderá encontrar de tudo um pouco e uma das rúbricas deste blog que mais gosto é "A Sua Viagem", aqui a Natália faz perguntas a convidados sobre os locais que estes visitaram.




Projecto 101 países
O  Projecto 101 países é o blog da Gabi e do Fabrício e serve essencialmente como diário das suas viagens pelo mundo. Tal como o nome indica o seu objectivo é visitarem 101 países e por esta altura o seu passaporte já tem o carimbo de cerca de 35 países. Mas não são só as suas aventuras pelo mundo que se encontram descritas neste fantástico blog, aqui podemos também encontrar várias dicas bem úteis para quem pretende viajar.



Viajando com Pimpolhos
Viajando com Pimpolhos é o blog de leitura obrigatória para quem pretende viajar com crianças (e como tal acabou de se tornar num dos meus blogs preferidos). Este é administrado pela Sut-Mie, que juntamente com o marido e as duas filhas têm viajado imenso pelo mundo. E segundo ela viajar com crianças é uma experiência como outra qualquer, apenas requer um pouco mais de organização. Aqui encontraremos várias fotos e relatos de uma família que adora se aventurar pelo mundo fora.



Filipe o pequeno viajantes
Filipe, o pequeno viajante é um blog que conta as aventuras do Filipe, uma criança com cerca de 5 anos, pelo mundo com os seus pais. Actualmente, o pequeno Filipe já visitou cerca de 38 países. E os seus pais decidiram criar o blog de modo a incentivar outros casais a viajarem com os seus filhos. Ao ler os vários relatos feitos pelo Peg e pela Cláudia, descobri que não existem lugares maus para viajar com crianças e que me posso aventurar com a Cléo por locais que não sejam só a Disney ou locais ou não chegue a sair do hotel.



Love and Travel
Love and Travel é o blog da querida Thais Moura e onde ela vai fazendo o relato dos lugares incríveis por onde viajou. Ou mesmo tempo que vai dando dicas e conselhos para aqueles que querem fazer os seus próprios roteiros. Para além disso, a sua história assim como a do seu blog são absolutamente maravilhosas, não deixe de visitar.



4Trip
4Trip é outro dos blogs que adoro e que ando sempre a tentar manter-me a par. É administrado pela Alexandra e surgiu da necessidade de criar um diário virtual das suas aventuras, ao mesmo tempo que compartilha tudo o que tem visto e aprendido pelo mundo. Aqui encontrará de uma forma muito simplista e acessível todas as dicas de planeamento, assim como as impressões de todos os locais que vão conhecendo. Sem dúvida um blog a reter.





E aqui estão aqueles blogs que recomendo de coração e com a certeza de que todos vocês ficarão fãs, caso ainda não conheçam (o que tenho dúvidas). Existem muitos outros de que poderia falar e que ficariam muito bem neste artigo, mas neste momento estes são os que sigo com mais frequência.
Apesar de não serem denominados de blogs, há dois sites que gostamos particularmente e não podemos deixar de referenciar, A Grécia do seu jeito, da querida Amanda Fontenele, que tal como o nome indica é especialmente dedicado à Grécia. Quem quiser visitar este país deve aceder a este site e falar com a Amanda que faz roteiros personalizados e organiza excursões.
O outro site que não podemos deixar de falar é o Malaparadois, do Edi e da Flávia. Aqui encontrará tudo o que precisa saber sobre viagens e afins. Para além das suas próprias opiniões, o Edi e a Flávia recolhem a opinião de outros viajantes e organizam-na para que nós possamos ter uma informação mais completa.

E vocês seguem estes blogs? O que pensam deles? Têm outros blogs favoritos? 
Deixem aqui a vossa opinião.