sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Explorando Heraklion - por Amanda Fontenele

Explorando Heraklion - por Amanda Fontenele


Hoje é dia de mais um artigo do GuestPost, desta vez a cargo da amorosa Amanda Fontenele, administradora do blog A Grécia do seu jeito. Neste artigo, ela sugere-nos um pequeno roteiro para quem pretende visitar a bonita cidade de Heraklion. Espero que gostem (o artigo encontra-se escrito em português do Brasil)...


Explorando Heraklion, a quinta maior cidade da Grécia e a mais desenvolvida de Creta, com uma população de aproximadamente 200.000 habitantes, você estará no centro da economia e dos serviços da ilha. Com museus, monumentos seculares, casarões neoclássicos, inúmeros restaurantes, cafés, lojas de várias grifes famosas e um trânsito barulhento, repleto por muitos carros e motos, Heraklion é um modelo de cidade cosmopolitana.
Porta de entrada para a maioria dos turistas que chegam em Creta, se o desembarque acontecer no porto, será “recepcionado” por um dos cartões postais: o Porto Veneziano, com uma frota de barcos, pequenos botes e a Fortezza de Koules (Rocca al Mare), construída no início do ano de 1500, um dos símbolos da cidade e atualmente utilizada para apresentações teatrais durante o verão. Neste local, diarimante pessoas fazem caminhadas e ciclismo.

Porto Veneziano e a Fortezza de Koules, Heraklion

Depois de alguns instantes admirando este cenário e continuando a explorar áreas da orla marítima, encontrará ao lado de edificações modernas, o Monastério de São Pedro e São Paulo. Construído no século 13, período veneziano, já foi um dos mosteiros católicos mais importantes da cidade e depois transformado em mesquita por otomanos. Após danos sofridos por terremos, foi restaurado, pertence à Igreja Ortodoxa e é mantido em estado de preservação, fechado para visitação interna.
Em curta distância, existe o Museu Histórico e Etnográfico de Creta, fundado em 1953, permite uma verdadeira viagem no tempo, com amostras de objetos do Período Bizantino, Veneziano e da Segunda Guerra Mundial, com foco na Batalha de Creta. Cerâmicas, esculturas, joias, modelos de vestuário típicos de cretenses e até exemplos de como eram as casas, séculos antes. Além de quadros do pintor El Greco e do memorial de Nikos Kazantzakis, com pertences vindos da sua casa em Antibes, França.
Após, subindo a Rua de 25 de Agosto, exclusiva para pedestres, passando por muitas lojas de souvenirs, agências de turismo e bancárias, a arquitetura da Igreja Ortodoxa de Ágios Titos ou Santo Titos (um discípulo do apóstolo Paulo e o primeiro Bispo de Creta), tende a chamar sua atenção. No interior desta, há muitas imagens lindas, afrescos e o crânio de Santo Titos.


Igreja Ortodoxa de Ágios Titos

Mais edificações venezianas ficam visíveis durante o percurso na Rua 25 de Agosto e a próxima é a elegante Vennetian Loggia, construída entre 1626 e 1628, por Francesco Morosini, foi local de encontro para os nobres, governantes e senhores feudais, que faziam as decisões econômicas e comerciais da época. Atualmente é a sede da Prefeitura Municipal de Heraklion e aberta para visitações.

A Basílica de São Marcos, construída em homenagem à São Marcos, padroeiro de Veneza, sedia a Galeria Municipal de Arte da cidade e frequetemente existem exposições. Ao passar, não deixe de conferir se há alguma.
Fonte dos Leões (Morozini Fountain), com mais de 400 anos de existência e 4 leões jorrando água de suas bocas, é um dos monumentos mais visitados por turistas e local de encontro para os habitantes da cidade. Na alta estação, é possível passar minutos esperando a vez para ter uma foto aqui.



Com um amplo centro comercial, é agradável passear pelas ruas de Heraklion, observando as vitrines e conhecendo as tendências da moda. Ao chegar na  Praça Eleftherias (da Liberdade), você terá uma vasta visão da rede de lojas e restaurantes centrais, além de conhecer a Tumba do Soldado Desconhecido, uma forma de homenagear pessoas cujos restos mortais estão em lugares desconhecidos.
No norte da Praça, o Museu Arqueológico de Heraklion, um dos mais ricos do mundo em informações, conserva os objetos que eram da Civilização Minoica. No acervo existem peças de cerâmicas, joias, afrescos, maquete do Palácio de Knossos, o famoso Disco de Phaistos e estatuetas, que dentre elas a deusa das Serpentes é uma das mais conhecidas. Aberto de terça até domingo, entre 08:00-20:00h e segunda-feira às 13:30-20:00, com o ingresso custando 6 ou 10€, incluindo Knossos, válido por 5 dias.

Disco de Phaistos, no Museu Arqueológico de Heraklion
Deusa das Serpentes, no Museu Arqueológico de Heraklion

O santo padroeiro de Heraklion é Santo Minas. A catedral que teve o início da construção em 1862 e foi concluída apenas em 1895, está entre as maiores da Grécia. Com altas colunas em seu interior, lustres com imagens de santos, e o teto repleto por afrescos, é possível sentir uma sensação de intensa religiosidade, harmonia e elegância.

Após finalizar o passeio pelo centro da cidade, é indicado uma visita às ruínas do Palácio de Knossos, este lugar que inspira elegância e grandeza já foi o centro administrativo de Creta durante a Civilização Minoica. Os primeiros vestígios de habitação na área do palácio, remontam ao período Neolítico (7000-3000) a.C.

Ruínas do Palácio de Knossos

Deixando Heraklion e indo para o Leste da ilha, passará por uma extensa área litorânea lotada com banhistas devido à sua proximidade com Heraklion. Até chegar no CretAquarium – Thalassokosmos, o primeiro maior aquário da Grécia. Funcionando desde Dezembro de 2005, é composto por mais de 40 tanques com amostras da fauna do Mar Mediterrâneo, dentre elas: variados cardumes, tartarugas, cavalos-marinhos, algas, esponjas, arraias e medusas. Se preferir fazer algum lanche, nas instalações do prédio existe o Thalasea Café, ou se quiser comprar alguma lembrancinha, conheça a loja Aqua Shop e veja a varidade de produtos ofertados.

CretAquarium

Saindo da visita ao aquário e percorrendo pela orla marítima, conhecerá Chersonissos, Stalis e  Mália, locais que promovem os agitos e baladas durante o verão, com festas que duram 24 horas por dia. Estas regiões possuem ampla e diversificada rede hoteleira, para todos os gostos e bolsos. É em Chersonissos, que ficam os restaurantes e hotéis mais luxuosos, com destaque para as colinas do sul, onde existem as casas e villas dos ricos cretenses.