sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Londres em 5 filmes

Londres em 5 filmes

Londres foi uma das últimas grandes cidades que visitei e apesar de não ir com grandes expectativas, certo é que fiquei completamente apaixonada e cheia de vontade de regressar assim que puder. Como tal, resolvi fazer um artigo onde falo sobre alguns filmes que nos mostram Londres e os seus encantos, de diferentes perspectivas. Nesta lista vão encontrar filmes bem antigos, assim como alguns bem actuais.

O primeiro filme da minha lista é o filme mais especial para mim, de todos os tempos, e que me transporta para a minha infância, quando ainda víamos os filmes em fitas VHS. Recebi este filme era muito pequenina, na casa do ano e pouco e este acompanhou-me até bem tarde. Estou a falar do filme Mari Poppins, de 1964 e que ainda hoje está entre os 25 maiores musicais de todos os tempos.

Foto - O Público
Este é um filme passado em 1910, onde um banqueiro procura uma babysitter para os seus filhos. Eis que surge a magnífica Mari Poppins, interpretada pela não menos magnífica Julie Andrews. Esta possui poderes mágicos e juntamente com o faz-tudo Bert levam a família do banqueiro numa viagem pelo mundo da música, magia e diversão, mostrando uma cidade muito mais colorida e fantasiosa, do que ela na verdade é, mas não pudemos esquecer que estamos perante um filme da Disney. 
Há uns dias li que a Disney pretendia fazer uma nova versão deste filme e estou ansiosa para que aconteça.

Segue-se o filme Notting Hill, de 1999, que é uma das melhores comédias românticas de todos os tempos. Passado no bairro de Notting Hill, este belo filme retrata a história do dono de uma livraria especializada em guias de viagem que recebe a visita de uma actriz americana famosa. 

Foto - Adoro Cinema
Certo é que o romance acontece entre os dois e vários cenários maravilhosos vão aparecendo no desenrolar da história, nomeadamente a Portobello Road, a Kenwood House ou até o Hotel Savoy.

Outro filme também estrelado pelo Hugh Grant, que se passa em Londres, é o Diário de Bridget Jones. Este filme de 2001 retrata a história de Bridget Jones, uma mulher de 32 anos, que decide começar a escrever um diário.

Foto - Viajes de Cine
Nesse diário ela vai escrevendo tudo o que lhe vem à ideia, originando um diário provocativo e bem erótico. Ao visualizar o filme é possível ver várias zonas famosas de Londres, nomeadamente o Borough Market e o pub The Globe, sendo por cima deste pub que se situa o apartamento de Bridget. Para mim, o Borough Market é um dos locais mais encantadores da cidade.

Outro filme bem famoso que se desenrola em Londres, é uma das sequelas de 007, neste caso SkyFall. Apesar de em todos os filmes de James Bond se poder ver Londres, a verdade é que SkyFall é aquele que melhor nos mostra Londres e os seus marcos mais importantes.

Foto - Blog Volto Já
A história desta filme centra-se na investigação de Bond ao ataque realizado contra o MI6 e locais como a National Gallery, Trinity Square, Whitehall ou a estação Charing Cross surgem no filme ainda com mais destaque. Depois de ver a película ainda temos mais vontade de regressar a esta cidade maravilhosa.

O último filme que seleccionei para este artigo não é um mas sim uma série deles, ou melhor, todos os filmes de Harry Potter. Nos vários filmes da saga são mostrados alguns dos lugares mais icónicos desta magnífica cidade, nomeadamente, o London Zoo, a Millennium Bridge, ou ainda a estação de King's Cross.

Foto - Harry Potter Wiki
A saga de Harry Potter leva-nos por um passeio por Londres, dando-nos a conhecer as catedrais, os castelos, o magnífico Leadenhall Market, entre muitas outras atracções da cidade, de uma forma mágica que enaltece ainda mais a beleza de cada um dos locais.

E estas foram as minhas escolhas de filmes que, da minha perspectiva, nos mostram a beleza e encanto da magnífica cidade de Londres. E vocês que filmes recomendam para podermos ver a cidade de Londres em todo o seu esplendor?

Espero que tenham gostado :)



quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Gastronomia do Mundo - Rhodes

Gastronomia do Mundo - Rhodes

Hoje o artigo é dedicado à série "Gastronomia do Mundo", onde falo dos pratos típicos dos locais que vou visitando.
Como já referi em artigos anteriores, a gastronomia grega baseia-se em ingredientes frescos e a gastronomia de Rhodes não foge à regra. Nesta ilha é possível encontrar os diferentes pratos tradicionais gregos mas com pequenas diferenças.

Alguns dos pratos tradicionais de Rhodes são atribuídos a características religiosas, algo que ainda hoje é respeitado, sendo então cozinhados em ocasiões especiais como noivados, batizados, Páscoa, Natal, entre outros. Um dos doces típicos da ilha é o Melekouni, um doce servido frequentemente nos casamentos gregos, como símbolo de uma vida doce e cheia de crianças.

Foto - Greek Recipe

Esta é uma receita bem simples de fazer. Comece por limpar o sésamo e coloque-o no forno até ficar dourado. De seguida parta-o levemente num almofariz. Ferva o mel e junte a canela, a noz-moscada, a casca de laranja e as amêndoas.
Numa superficie limpa e húmida, espalhe o mel, enquanto ainda está quente e macio pressione o sésamo sobre este, até se tornarem num só. De seguida deixe arrefecer. Quando estive frio, corte aos bocados.
Para ver a receita original visite Greek Recipe.

Como vê não pode ser mais simples de fazer e tenho a certeza que irá adoçar a sua vida e que ficará fã, desta especialidade.

Este blog tem parceria com o Booking. Se pretende fazer a sua reserva para ficar alojado em Rhodes, contrate o serviço aqui e estará a ajudar o nosso blog, já que o nosso trabalho é voluntário.

Leia o nosso artigo sobre Rhodes

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Dicas para viajar pela Europa

Dicas para viajar pela Europa


A Europa possui inúmeras atracções, que cada vez têm mais destaque e despertam o interesse a quem a visita. Mas é preciso ter muita atenção e cuidado para não gastar dinheiro desnecessário e assim conseguir tornar a viagem ainda mais interessante.
De seguida, darei umas dicas, para quem viaja pela Europa e que serão importantes não só para poupar dinheiro, como para conseguir usufruir bem da sua viagem.


Visite durante a época baixa
Se pretende visitar a Europa sem grandes confusões e a preços mais acessíveis, evite viajar nos meses de Junho, Julho e Agosto. Ao viajar durante estes meses corre o risco de encontrar grandes multidões e filas para qualquer no lugar que vá.

Museu du Louvre, em Paris, em Janeiro


Compre em negócios familiares
Não deixe de explorar as ruas menos movimentadas e com negócios mais familiares, misture-se com os moradores locais, saia da zona de conforto. Para além de que os restaurantes e as lojas fora das principais ruas tendem a ser mais baratos.
E nunca se esqueça, que os restaurantes com fotos no menu, atendem essencialmente turistas, o que significa que o preço está inflacionado.

Mercado do Bolhão, no Porto


Aprenda a língua local
Uma das coisas que um europeu mais aprecia é ver um turista a esforçar-se para falar a sua língua, por isso pratique algumas frases e utilize-as com os moradores locais.
Saudações e agradecimentos serão sempre muito úteis.


Compre o Pass da Cidade
As principais cidades são conhecidas por ter um Pass, que mais não é que um cartão, que geralmente dá acesso gratuito aos meios de transporte da cidade, e a entradas em alguns museus e atracções da cidade, assim como, descontos nas entradas em outras atrações. Um bom exemplo é o Roma Pass que nos dá acesso aos transportes públicos e ainda entrada grátis em 2 museus ou sítios arqueológicos mais famosos e entrada grátis num conjunto de outras atracções não tão conhecidas da cidade.
Aconselho a que antes de comprar veja o que pretende visitar e faça contas, pois nem sempre pode ser a melhor opção.

Roma Pass

Mantenha-se mais tempo em cada local
Aprecie cada local por mais tempo, crie rotinas, encontre o seu café favorito, faça amizades, dê-se a oportunidade de conhecer verdadeiramente uma cidade, uma vila, o seu destino de férias.
Ou seja, conheça verdadeiramente um local, fique por uma semana ou duas e verá como a cidade terá outro encanto. Para além de que verá que poupará bem mais do que se visitasse várias cidades de forma mais superficial.

Oxford Street, em Londres

Fique alojado no sítio central e vá a pé a todo o lado
Geralmente procuramos sempre ficar nos sítios mais em conta, que normalmente é nos subúrbios, mas o certo é que nem sempre vale a pena. Para tal, faça contas e perceba quanto fica o transporte de ida e volta para o centro da cidade, se existem opções para fazer as refeições, entre outros.
Assim, o meu conselho é que procure bem e tente encontrar um local que fique perto do centro, onde poderá alcançar os principais pontos turísticos, assim como encontrar cafés e restaurantes sem grandes problemas. Para além de que ficará a conhecer muito melhor a cidade, se fizer os seus percursos a pé.

Conheça pequenas cidades
Muitas vezes o grande problema das grandes cidades é que ao serem invadidas por turistas, torna difícil a vida de quem pretende conhecer e se misturar com a população local. Como tal, a melhor opção será sempre escolher cidades mais pequenas, que não tenham tantos turistas, mas que fique relativamente perto dos principais pólos, para que deste modo se também quiser visitar, o possa fazer.

Villars sur Ollon, na Suíça


Utilize voos low-cost
As companhias de baixo custo estão presentes em toda a Europa e são uma das principais vantagens para o turista escolher a Europa, como o seu destino de férias. Estas companhias voam de cidade em cidade com um custo mínimo. Por exemplo, já voei do Porto para Genebra a 14€, mas há voos ainda mais baratos. Haverá melhor presente?

Ryanair, uma das companhias low-cost da Europa

Viaje de comboio
A Europa está bem fornecida de comboios e viajar entre cidades de comboio é uma óptima opção, pois geralmente é mais espaçoso, confortável e com menos burocracias que um voo. A grande vantagem é que pode comprar o seu bilhete minutos antes da partida, mas é necessário ter em conta, que geralmente é mais caro que uma viagem de avião.
Eu pessoalmente, opto por viajar de avião quando viajo entre cidades de países diferentes e de comboio quando me pretendo deslocar entre cidades no mesmo país.

Comboio da Trenitália


Estas são as minhas dicas para aqueles que pretendem viajar pela Europa, de uma forma fácil e sem gastar muito.
E vocês têm alguma dica diferente desta?

Este blog tem parceria com o Booking. Se pretende fazer a sua reserva para ficar alojado em qualquer lugar da Europa ou até do mundo, contrate o serviço aqui e estará a ajudar o nosso blog, já que o nosso trabalho é voluntário.



quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Gastronomia do Mundo - Olímpia

Gastronomia do Mundo - Olímpia

Hoje o artigo é dedicado à série "Gastronomia do Mundo", onde falo dos pratos típicos dos locais que vou visitando. Este artigo fala de novo sobre uma cozinha que adoro, a grega, mais especificamente sobre a Hilopites, uma massa típica desta cozinha.

A gastronomia grega tem quatro pressupostos muito importantes e que a tornam numa das cozinhas mais apreciadas do mundo, são eles os ingredientes frescos, o uso correcto das especiarias, o seu famoso azeite e a simplicidade.
Como tal, e quando se trata de culinária, a península do Peloponeso, e em específico a região de Olímpia, tem uma infinidade de pratos tradicionais que se destacam pelas suas receitas simples e pelo frescor dos seus ingredientes.

O prato de hoje é  Hilopites com Camarão, um tipo de massa muito especial, com um corte assimétrico e confeccionada com tomate, originando um prato delicioso.

Para fazer esta receita comece por descascar o camarão e reserve as cascas e as cabeças. Numa panela, em lume médio, refogue as cascas e as cabeças, em azeite, cerca de 3 minutos. Adicione a cebola cortada em cubos, a polpa de tomate e as raspas da vagem de baunilha e deixe refogar por mais 5 minutos.  Adicione o vinho e o conhaque e deixe evaporar, adicione o caldo de carne e deixe ferver. Retire do lume.
Com a varinha passe o preparado e passe a mistura por um coador. Coloque de novo ao lume até ferver, adicione a massa e deixe cozinhar. Junte o camarão e cozinhe por cerca de 3 minutos. Retire do lume e tempere com sal e pimenta.
Adicione  tomate cherry e raspas de uma laranja. Emprate e decore com manjericão fresco.
Para ver a receita original vá a The Cooking Odyssey

Por certo que não ficará indiferente a este saboroso prato de uma das cozinhas mais espectaculares do mundo.

Este blog tem parceria com o Booking. Se pretende fazer a sua reserva para ficar alojado em Olímpia, contrate o serviço aqui e estará a ajudar o nosso blog, já que o nosso trabalho é voluntário.

Leia o nosso artigo sobre Olímpia