segunda-feira, 9 de abril de 2018

Um dia em...Friburgo

Um dia em...Friburgo

Friburgo é uma cidade do cantão suíço com o mesmo nome, possuindo um dos mais bonitos e bem conservados conjuntos arquitectónicos  medievais da Europa, composto por fontes e igrejas datadas desde o séc. XII até ao séc. XVII.
Localizada numa península, rodeada dos três lados pelo La Sarine, foi fundada por volta de 1157, pelo Duque Bertoldo IV de Zahringen, tendo ao longo dos séculos, sido controlada por diversas casas e participado em diversas guerras.
Durante os séc. XIX e XX sofre grandes alterações quer a nível cultural, quer na sua estrutura, nomeadamente com a destruição parcial da sua muralha e com a construção de uma nova ponte sobre o Rio Sarine.

Friburgo

As principais atracções turísticas da cidade são a arquitectura militar medieval mais importante da Suiça, com cerca de 2km de muralhas, 14 torres e ainda um grande bastião, a sua bela Catedral gótica, com cerca de 76 metros de altura, do séc. XIII, o Museu de História Natural, fundado em 1873, entre vários outros museus, as inúmeras fontes espalhadas pela cidade, várias capelas e edifícios seculares.


Recentemente passei um dia em Friburgo e fiquei encantada com esta bela cidade que tanto tem para oferecer, e como tal, decidi partilhar convosco o nosso roteiro.

O nosso roteiro:
Chegámos de manhã à cidade e fomos directos ao posto de turismo para conseguir um mapa de Friburgo e algumas indicações para visitarmos as atracções mais importantes, uma vez que não tínhamos muito tempo.

Bem pertinho do posto de turismo encontrámos a Igreja Protestante de Friburgo, fundada em 1875 e que ao longo das décadas tem sofrido várias reformas, a última das quais em 2010/2011. A paróquia protestante é bilingue e formada por cerca de 5600 membros.


Igreja Protestante de Friburgo
Continuámos o nosso percurso em direcção à bonita e pacata Square des Places, onde está localizado o elegante edifício do Posto dos Correios.

Square des Places

E seguimos pela Rua de Lausanne, uma elegante rua comercial que nos leva até à Place de l'Hôtel de Ville, praça onde ocorre o mercado todos os sábados e onde está localizado o Hôtel de Ville, uma construção gótica de 1522, concebido para funcionar como celeiro, mas que actualmente alberga a Câmara Municipal e ainda a magnífica Torre do Relógio e a Maison de Ville ( uma bela casa barroca).

Rua de Lausanne

Nesta mesma praça encontrámos ainda a Fonte de São Jorge, construída entre 1522 e 1524, conhecida por possuir uma coluna com uma escultura de pedra de São Jorge, em cima de um cavalo a matar um dragão, cuja autoria é de Hans Geiler.
Em breve sairá um artigo dedicado às bonitas fontes renascentistas espalhadas pela cidade.

Place de l'Hôtel

Seguimos em direcção à Catedral de São Nicolau, ou Catedral de Friburgo, uma bela catedral gótica, dedicada ao padroeiro da cidade, localizada bem no centro histórico. Foi construída entre 1283 e 1490, mas não foi totalmente acabada, por falta de verba. Possui uma torre com 74 metros de altura, que oferece uma vista panorâmica pela cidade, sendo conhecida pelo seu magnífico conjunto de vitrais, do estilo Art Nouveau, um dos mais bonitos de toda a Europa.
Em breve sairá um artigo todo dedicado à Catedral.

Catedral de São Nicolau

Depois de visitarmos a catedral decidimos caminhar em direcção ao Rio e encontrámos bem por de trás do edifício mais uma das fontes renascentistas que se encontram espalhadas pela cidade. Desta vez encontrámos a Fonte da Bravura, construída no séc. XIV, na Praça do Hôtel de Ville, onde permaneceu até 1840. O senão é que essa zona andava em obras e não conseguimos ter uma perspectiva completa da fonte.

Continuámos o nosso itinerário e chegámos à Ponte Zaehringen, construída em 1924, substituindo a ponte que se encontrava no local. Em 2014, foi proibido o trânsito de veículos motorizados nesta ponte, com excepção dos serviços de segurança, os motociclos e os transportes públicos.

Ponte Zaehringen

Bem junto à Ponte encontrámos uma escada que nos levou para a borda do rio e continuámos até à histórica Ponte de Berna. Esta é a a única ponte coberta de madeira que ainda existe em Friburgo, tendo sido construída em 1250, um século após a fundação da cidade. Aos longo dos séculos foi sendo renovada o que lhe permitiu permanecer até aos dias de hoje. Esta é sem dúvida uma das atracções mais bonitas da cidade, apesar de ser bem simples e sem nenhum adorno especial, a verdade é que toda a moldura que a rodeia tornam o local magnífico.

Ponte de Berna

Prosseguimos a nossa incursão pelo centro histórico da cidade e encontrámos a Fonte de Santa Ana. A Fonte inicial terá sido construída por volta de 1349, mas a fonte que chegou até aos nossos dias data de 1559, sendo uma fonte retangular, cuja coluna se encontrada adornada com criaturas marinhas e alguns querubins e símbolos musicais, numa alusão ao antigo Hospício de St. James. Possui ainda uma bonita escultura representando a Santa Ana, a Virgem e a Criança, em estilo gótico.

Fonte de Santa Ana

Bem próximo da fonte voltámos a passar o Sarine desta vez através da Ponte de Milieu situada na parte baixa de cidade. A primeira ponte no local foi construída em 1275 e a actual data de 1720, quando a ponte de madeira deu lugar a uma ponte de quatro arcos.

Em cima da Ponte Milieu
Esta ponte oferece-nos uma das vistas mais bonitas do centro histórico da cidade e da sua Catedral, valendo a pena caminhar até este local para ter esta perspectiva de Friburgo.

Vista da cidade de Friburgo
Desviamo-nos depois um pouco do nosso percurso para visitar a Capela de Lorette, um bonito santuário de estilo barroco, construído por Jean François Reyff, em 1648. Esta foi construída para trazer a paz ao país. Localizada num dos pontos mais altos de Friburgo, quem visita a Capela de Lorette é recompensado com uma das vistas mais encanadoras sobre a cidade, vislumbrando os vários bairros e pontes de Friburgo.

Capela de Lorette
De seguida voltámos ao nosso roteiro e passámos pela a Igreja de São João, uma igreja medieval, reconstruída no séc. XVIII e bem simples e pela a Fonte de São João. Construída por Hans Geing e pelo seu filho Frantz Geing, esta bela fonte de estilo renascentista possui uma estátua de São João Batista, na sua capa e segurando na mão esquerda um ferro.

Igreja de São João

Prosseguimos com o nosso passeio pelas ruelas da parte baixa da cidade, também conhecida como Neuveville e fomos aproveitando para tirar fotos a tudo o que víamos e encontrámos mais uma bonita fonte, desta vez a Fonte da Força. Construída em 1549, da autoria de Hans Geing, esta fonte, encontra-se localizada no final da escada de Court-Chemin e representa uma figura de força, valor e ousadia.

Fonte da Força
Depois de explorada a parte baixa da cidade, optámos por apanhar o Funicular para regressar à parte alta , também conhecida por St. Pierre. Este belo exemplar, uma das atracções mais encantadores de Friburgo, foi inaugurado em 1899 e funciona com as águas residuais da cidade, que funcionam como contrapeso. Foi uma viagem de cerca de 2 minutos que adorámos fazer e que aconselhamos a quem visitar a cidade.

Linha do Funicular

E assim terminava a nossa visita por Friburgo, uma cidade encantadora que tanto nos deslumbrou com a sua arquitectura, a sua cultura, a sua história. Era uma cidade sobre a qual não tinha grandes expectativas mas que se revelou como uma magnífica surpresa.

E vocês já visitaram a cidade? o que acharam?

Este blog tem parceria com o Booking. Se pretende fazer a sua reserva para ficar alojado em Friburgo, contrate o serviço aqui e estará a ajudar o nosso blog, já que o nosso trabalho é voluntário. 

Leia os ossos outros artigos sobre a Suiça:





quarta-feira, 28 de março de 2018

Dicas para quem viaja com crianças

Dicas para quem viaja com crianças

Com a chegada da minha filha depressa percebemos que teríamos que alterar algumas rotinas de viagem que até então fazíamos. E foi pacífico, não deixaríamos de viajar, nem tão pouco a deixaríamos para viajar, só precisávamos ter alguns cuidados extra e assim descobrimos quão divertida a experiência pode ser.



A chegar à Catedral de Friburgo



É importante levar a viagem mais ou menos programada, de maneira a conseguir fazer deste tempo algo agradável e inesquecível. Como tal, deixo aqui algumas dicas que o poderão ajudar na hora de viajar com crianças:

- Ser prática na hora de escolher a roupa e não levar o armário inteiro. Praticamente tudo pode ser comprado no destino, caso alguma coisa faça falta;
- Fazer um seguro de viagem. Sabemos que os imprevistos acontecem, então convém estar preparado para qualquer eventualidade. Caso viagem pela Europa, existe o Cartão Europeu de Saúde, que assegura tratamento em hospitais públicos, mas caso andem por fora convém fazer um seguro numa seguradora. E nunca se esqueça de levar os contactos do pediatra para que este possa orientar nos primeiros cuidados;

A nossa viagem à Suiça


- Não esquecer de levar os principais medicamentos que poderão ser precisos, mas sem entrar em exageros;
- Levar o carrinho da criança para não correr o risco de ter que andar com ela sempre ao colo;
- Não entrar em parafuso com a alimentação das crianças. Estas podem sempre provar os sabores locais e a até gostar e além do mais, há sempre a fruta, o pão, as bolachas, o leite, os iogurtes,entre outros;


A primeira viagem dela, com 7 meses

- Levar na mochila sempre alguns objectos que permitam à criança se distrair, nomeadamente livros, bonecos, a chupeta,etc;
- Não dar ouvidos àqueles que tentam desencorajar a viajar com crianças, já viajei várias vezes, para vários países, desde que ela tem 7 meses e correu sempre tudo bem;
- Tentar marcar os voos por volta da hora de dormir, pois assim poderá ser que a criança faça o voo a dormir, o que será óptimo;


A nossa viagem a Barcelona

- Esperar que todos saiam do avião para depois então sair com o bebé. Os dias de ser o primeiro a sair do avião chegaram ao fim;
- Evitar voos com escala, nem que isso signifique pagar um pouco mais. Caso tenha escala deverá ter o cuidado de ver o tempo da mesma para não ter que andar a correr, com uma criança pelo aeroporto
- Optar por casa em vez de hotel. O hotel tem grandes vantagens mas alugar uma casa pode trazer um conforto e uma segurança extra, nomeadamente na hora das refeições, uma vez que assim poderemos cozinhar para os nossos pequenos, para além do espaço que estes terão para se distrair e brincar;


A explorar Londres

- Se optar por um hotel ter em atenção as condições do mesmo, lembrando que agora tem uma criança e que características que antes não importavam, agora podem condicionar a estadia. Quando fomos a Londres escolhemos um hotel que não tinha elevador, ficamos alojados no quarto andar e todos os dias tínhamos umas escadas íngremes para subir e descer;
- Viajar devagar. Temos sempre a tentação de querer ver tudo, mas com crianças temos que saber abrandar o ritmo e deixá-las manter algumas rotinas do seu dia-a-dia. Se de manhã vamos a um local que os adultos querem, à tarde visitamos um parque infantil, se um dia a criança se mostra mais cansada ficamos a descansar. E se não for possível ver tudo o que desejávamos, sabemos que podemos sempre voltar a visitar aquele local.

A desbravar os Alpes Suíços


Agora é só relaxar e aproveitar ao máximo as férias. Não há nada melhor do que fazer férias com os nossos filhos e sabemos de antemão que haverá sempre alguma coisa que sairá do que tínhamos idealizado, mas o que realmente interessa é aproveitarmos cada momento ao máximo. 
E vocês que dicas é que dão para viajar com crianças?

"Porque as viagens em família duram mais que os brinquedos. Porque as viagens se tornam parte da nossa identidade. Porque queremos que os nossos filhos descubram que o mundo tem muito mais para oferecer do que aquilo que os rodeia."

Veja os nossos artigos com outras dicas úteis para quem viaja: 



sexta-feira, 9 de março de 2018

Gastronomia do Mundo - Porto

Gastronomia do Mundo - Porto

Hoje o artigo é dedicado à série "Gastronomia do Mundo", onde falo dos pratos típicos dos locais que vou visitando e desta vez vou falar da gastronomia de uma cidade portuguesa que adoro, o Porto.

O Porto é conhecido pela sua gastronomia, que mantém os sabores e as tradições culinárias de séculos, mas sempre numa constante descoberta de novos paladares. Exemplo disso é o prato de que falarei hoje, a Francesinha. 

Esta surgiu já na segunda metade do século XX, pela mão de Daniel David Silva, empregado no Restaurante A Regaleira. Tendo sido emigrante em França e na Bélgica, acredita-se que Daniel terá criado este prato tendo como inspiração a tosta francesa e daí o seu nome. De notar, que em 2011, o site americano Aol Travel, elegeu este prato como "uma das 10 melhores sandes do mundo". 

Francesinha  (Foto - NIT )

A Francesinha mais não é do que uma sandes, que leva os seguintes ingredientes: pão de forma, bife, linguiça, salsicha fresca, fiambre e queijo. Contudo estes podem sofrer uma ou outra alteração consoante o gosto. Eu pessoalmente, como não gosto de salsicha fresca troco por bacon. Mas o segredo está essencialmente no molho, existem várias receitas que poderei dar posteriormente, mas hoje vou falar na confecção da sandes em si.
Comece por cortar a linguiça e a salsicha ao meio, no sentido do comprimento. Posteriormente, frite ou grelhe, o bife, previamente temperado, a salsicha e a linguiça. Torre ligeiramente o pão de forma e comece a montar a sua sandes. Coloque uma fatia de pão, seguida de uma fatia de fiambre, o bife, a salsicha, a linguiça, uma fatia de queijo e termine com outra fatia de pão. De seguida, cubra a sandes com várias fatias de queijo e leve ao forno, até derreter. Depois de derretido, coloque o ovo por cima da sandes e derrame o molho bem quente até cobrir tudo. Acompanhe com batatas fritas.

Para ver as quantidades aceda ao site Ndicas e lá poderá encontrar uma receita do molho da francesinha. De notar, que este pode sofrer várias alterações e isso poderá fazer toda a diferença. Em breve postarei a receita do molho de francesinha que adoro.

Os portuenses têm orgulho na sua gastronomia e tenho a certeza que ao visitar o Porto, terá uma experiência magnífica e que lhe despertará os sentidos.

Este blog tem parceria com o Booking. Se pretende fazer a sua reserva para ficar alojado em Génova, contrate o serviço aqui e estará a ajudar o nosso blog, já que o nosso trabalho é voluntário.

Não deixe de ler os nossos artigos dedicados ao Porto


sábado, 24 de fevereiro de 2018

Aqua Village Health Resort and SPA

Aqua Village Health Resort and SPA

O Aqua Village Health Resort and SPA é um moderno hotel 5 estrelas, em Oliveira do Hospital, que tem como lema "tirar partido do território sem o deteriorar", onde a água e a natureza caminham lado a lado.

Este resort é composto por 29 apartamentos T1 e T2, distribuídos por  4 blocos e ainda por uma suite, composta por três andares. Cada apartamento é composto por uma kitchenette totalmente equipada, uma sala de estar, aquecimento e ainda uma bela varanda com vistas magníficas. Infelizmente não tivemos a sorte de puder aproveitar a vista maravilhosa, pois devido aos incêndios de Outubro de 2017, tudo em volta do hotel está queimado.

O nosso apartamento

O Aqua Village Health Resort and SPA tem como missão proporcionar uma experiência única e inesquecível, aliando a gastronomia à saúde e bem-estar, tendo sempre como base os recursos que a região tem para oferecer. Quem visita esta unidade encontrará no SPA Sensations um circuito termal composto por uma piscina ao ar-livre, uma piscina termal hidrodinâmica interior e ainda uma piscina climatizada semi-coberta com Jacuzzi, para além da sauna, banho turco e duche de contraste. Pode ainda usufruir de uma variedade de massagens e tratamentos terapêuticos.

Os vários espaços do SPA

O restaurante do hotel, o Roots Restaurant and Bar, tem como missão aliar a tradição e a modernidade, contando para isso com o trabalho do Chef Andreson Miotto. Vários são os pratos que merecem a nossa atenção e tivemos a oportunidade de jantar aqui por duas vezes, sendo que numa delas fizemos o menu de degustação com 5 pratos e devo dizer que foi bastante agradável. De todos os pratos que experimentei posso recomendar para entrada a Empada de pato, como prato principal os Lombinhos de Porco Preto e como sobremesa aconselho vivamente que experimentem os gelados maravilhosos feitos lá, o de zimbro é fantástico. 
Confesso que achei os preços um pouco puxados mas penso que para quem aprecia comida gourmet e gosta de experimentar coisas novas, como é o nosso caso, vale muito a pena. 
O André fez ainda uma prova de vinhos, que segundo ele foi bem agradável.

Alguns dos pratos que experimentámos

Reservei um apartamento deluxe de 1 quarto, mas o hotel ofereceu-nos um upgrade, e passamos para um apartamento premium de 2 quartos. Cada quarto possuía a sua casa de banho e num dos quartos bem no meio do mesmo tínhamos uma banheira de hidromassagens, que por sinal fez as delícias da nossa filha. No quarto tínhamos roupões para utilizar durante a nossa estadia. E quando íamos à piscinas eram nos dadas toalhas para utilizarmos, assim como um cacifo para deixarmos os nossos bens. 
De notar, que é obrigatório o uso de touca e chinelos no SPA, caso se esqueçam de levar, podem comprar lá.

Este foi provavelmente o melhor hotel onde ficámos até hoje e que espero puder repetir brevemente e devo dizer que não achei os preços caros, pois pagámos por cada noite 79 euros, tendo pequeno-almoço incluído e ainda acesso ao SPA. É sem dúvida um local a repetir e a recomendar e espero honestamente que tenham imenso sucesso, pois é de mais locais assim que Portugal precisa.

Este blog tem parceria com o Booking. Se pretende fazer a sua reserva para ficar alojado no Aqua Village Health Resort and Spa, em Lisboa, contrate o serviço aqui e estará a ajudar o nosso blog, já que o nosso trabalho é voluntário.